Portais da Cidade
Xplosion games

Notícias na 25 de março

Listando: 6 à 10 de 1329
PANDEMIA FEZ MERCADO DE TABLETS ENCOLHER MENOS QUE O PREVISTO

Queda foi de 3% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a projeção inicial para o período era de 10% de retração

No primeiro trimestre de 2020 foram vendidos 674.163 tablets no Brasil, queda de 3% no mercado em relação aos três primeiros meses do ano passado. Para o período, a consultoria IDC Brasil previa queda de 10%, mas a pandemia de covid-19 aumentou o consumo desse dispositivo.

Do total de unidades comercializadas de janeiro a março de 2020, 624.512 foram consumidas pelo varejo com queda de 4,7%. E, 49.651 pelo mercado corporativo, alta de 25,7% em comparação com o primeiro trimestre de 2019. A receita foi de R$ 444,4 milhões, alta de 1,1% e o ticket médio foi de R$ 659,13, aumento de 4,1%, em relação ao mesmo período do ano passado .

De acordo com a IDC Brasil, os índices refletem duas situações de alta demanda. A volta às aulas, em janeiro, com 34,8% das unidades vendidas, e o início da quarentena, em março, com 35,5%.
“Em janeiro, tradicionalmente há uma reposição de estoques esvaziados pela Black Friday e Natal. Este ano, o mercado, que já vinha acompanhando a evolução do novo coronavírus no mundo, se preparou para atender também a demanda provocada pelas medidas de distanciamento social”, diz Rodrigo Okayama Pereira, analista de mercado da IDC Brasil. Segundo ele, os projetos do governo e educação contribuíram para o crescimento das vendas de tablets no segmento corporativo.

O analista destaca também o modelo Device as a Service. “No início do isolamento social, empresas começaram a buscar serviços de aluguel de equipamentos para o período em que seus funcionários ficariam afastados do local de trabalho”, lembra Rodrigo. (Com assessoria de imprensa)

(Fonte: DA REDAÇÃO) - 22/06/2020
Finlandesa Nokia, que começou como um moinho de milho, é atualmente mais do que uma empresa de celulares

Qual é a mais tradicional e clássica produtora de celulares? Se você pensou em Apple ou Samsung, se enganou. De fato, o título pertence, inegavelmente, à Nokia, empresa finlandesa que, no primeiro semestre de 2020, completa nada menos que 155 anos de existência.

É, portanto, uma história longa e significativa, que começou em 1865, quando dois amigos construíram um moinho de milho. Logo após, Fredrik Idestam e Leo Mechelin ergueram um segundo moinho e resolveram chamar a companhia de Nokia, local da nova instalação.

Idestam se aposentou em 1902 e, assim, Michelin resolveu entrar no negócio de geração de eletricidade. Depois, uma fábrica de produtos de borracha foi erguida perto e também se chamou Nokia.

As duas empresas conviveram por mais de meio século com o mesmo nome, produzindo ainda cabos elétricos e até mesmo respiradores.

Espionagem para os EUA
Em 1967 as duas empresas se fundiram, agregando uma terceira fabricante de cabos. Estava criada, assim, a Nokia Corporation. A companhia dessa forma se reinventava, entrando também no negócio de reflorestamento e de produtos eletrônicos.

Além disso, passou a produzir equipamentos militares e a exportá-los para a então União Soviética. Aliás, muitos anos depois, a empresa admitiu que, ao negociar com os soviéticos, fazia espionagem sobre o desenvolvimento militar da URSS para os Estados Unidos.

Entrada na era do celular
Por outro lado, na década de 1980, a Nokia resolveu adquirir várias fábricas de televisores, e então se tornou a terceira maior produtora de aparelhos desse tipo em toda a Europa.

Entretanto, o negócio que tornaria a empresa mundialmente famosa ocorreu em 1981. Ela comprou uma operadora finlandesa chamada Mobira, constituindo a primeira rede de telefonia celular internacional e a primeira a permitir roaming internacional. Logo após, em 1982, lançou o seu primeiro celular, que teve o nome de Senator.

Modelo 3310 foi grande sucesso
Em outras palavras, a empresa a partir de então rapidamente se transformaria na marca de celulares mais desejada do mundo.

Aliás, quem não lembra do 3310, um modelo lançado em 2000 e que marcou época? Ele foi relançado em 2017 com cara e tecnologia mais modernas, e eventualmente ainda pode ser encontrado à venda.

O toque sonoro mais famoso
Outra lembrança marcante da marca é o Nokia Tune, o toque personalizado dos aparelhos, lançado em 2010. Ele era ouvido em todos os cantos do planeta. Houve época em que era tocado 1,8 bilhão de vezes por dia, nada menos que 22 mil vezes por segundo.

Aliás, quer lembrar como era? Confira nesse vídeo:



N95, celular revolucionário
Da mesma forma, é impossível esquecer do Nokia N95, lançado em 2006. Ele era muito à frente de tudo que existia, e foi certamente o celular mais poderoso antes do surgimento dos smartphones. O N95 foi produzido até 2010 e ainda hoje reúne uma legião de fãs.

Tinha GPS, uma tela grande que deslizava e revelava um teclado físico por baixo, câmera de 5 MP com flash, rádio FM, saída de vídeo e até navegador para acesso à internet. Foi, dessa maneira, uma revolução e um grande sucesso.

Um “não” equivocado para o Google
Entretanto, alguns anos depois, a companhia perdeu o rumo, ao rejeitar a proposta do Google de utilizar o sistema operacional Android em seus aparelhos. Ela foi rapidamente superada por outros fabricantes. E parecia que a marca iria para o esquecimento em 2013, quando a empresa vendeu sua divisão de celulares para a Microsoft.

Então, os famosos Windows Phones eram produzidos sobre uma base da Nokia e acabaram fracassando. Isso porque usavam o sistema operacional do Windows, que não conseguia competir contra o iOS da Apple e o Android das demais fabricantes.

A volta ao mercado
Contudo, esse não foi o fim da empresa. Em 2016, a Nokia voltou ao mercado pela startup baseada na Finlândia HMD Global, que tem o licenciamento exclusivo para usar a marca Nokia em seus smartphones. A marca está presente com esses celulares no Brasil.

O último lançamento é o modelo 2.3, com desbloqueio por identificação facial, tela de 6,2 polegadas na proporção 19:9, bateria para dois dias e Android puro, o que garante atualizações mais rápidas. O preço é bem convidativo em várias lojas do comércio virtual.

Modelos sofisticados
A Nokia produz também smartphones mais sofisticados, mas esses não estão – pelo menos ainda – à venda oficialmente no Brasil. O mais completo deles é o Nokia 9, chamado de PureView.

Aliás, uma característica desse modelo é que ele tem nada menos que 6 câmeras traseiras. Trata-se de um aparelho de ponta, com tela de altíssima resolução e processadores velozes e poderosos.

Antigos, mas modernizados
Por outro lado, a empresa fez relançamentos de modelos antigos, modernizando-os. Um exemplo é o Nokia 208, que não é um smartphone, mas tem vários recursos.

Igualmente foi relançado o 8110, agora apelidado de Banana Phone, por sua cor amarela. Bonito e chamativo, tem tudo que um aparelho sem pretensões de ser smart pode oferecer.

Negócios em outras áreas
No entanto, a empresa assegura que seu futuro realmente não está atrelado ao celular. Afinal, seu principal negócio atualmente é a gestão de marcas e patentes. Aliás, a Nokia é detentora de muitas patentes. Por outro lado, a companhia continua trabalhando com tecnologia, especialmente no desenvolvimento de redes de comunicação como as 5G.

Enfim, já que falamos de celulares: você sabe espelhar o seu aparelho na TV? Por outro lado, que tal usar seu celular para localizar pessoas? Além disso, sempre é bom saber como resolver travamentos em seu smartphone.

(Fonte: Por Angela Rahde) - 15/06/2020
BRASIL SERÁ PRIMEIRO NO PAGAMENTOS VIA WHATSAPP

País é o primeiro a usar a ferramenta que permite a transferência de dinheiro e pagamentos dos usuários por produtos e serviços dentro do aplicativo

O Brasil é o primeiro país a liberar pagamentos no WhatsApp, permitindo que usuários transfiram dinheiro para seus familiares e amigos, além de pagar por produtos e serviços de empresas tão facilmente quanto enviar uma foto. A função de

pagamentos no WhatsApp estará disponível gradualmente nas próximas semanas e terá importância significativa para pequenos negócios.

“Estamos muito animados por disponibilizar os pagamentos no WhatsApp aos nossos usuários em todo o Brasil. Facilitar o envio e o recebimento de dinheiro não poderia ser mais importante em um momento como esse”, disse Matt Idema, diretor de Operações do WhatsApp. “Pequenas empresas são fundamentais para o país. A capacidade de realizar vendas com facilidade no WhatsApp ajudará os empresários a se adaptarem à economia digital, além de apoiar o crescimento e a recuperação financeira.”

Inicialmente, será possível usar cartões de débito ou crédito do Banco do Brasil, Nubank e Sicredi nas redes Visa e Mastercard – em parceria com a Cielo, a principal processadora de pagamentos no Brasil. O modelo aberto para receber mais parceiros no futuro.

Os pagamentos no WhatsApp são ativados pelo Facebook Pay para que, no futuro, as pessoas e empresas possam usar os mesmos dados de cartão em toda família de aplicativos do Facebook. As transferências e pagamentos são protegidos por várias camadas de segurança, como o PIN do Facebook Pay ou a biometria em dispositivos compatíveis.

FUNCIONAMENTO
As transferências de pessoa para pessoa podem ser feitas com cartões de débito ou combo suportados, e não com cartões de crédito. As pessoas podem enviar até R$ 1000 por transação, receber 20 transações por dia com um limite de R$ 5000 por mês. O pagamento para as empresas pode ser efetuado tanto com os cartões de débito quanto os de crédito sem limites. Somente transações dentro do Brasil e na moeda local são autorizadas. Os consumidores são isentos de taxas ao realizar transferências ou compras.

Ao vincular uma conta Cielo existente ou criar uma nova e habilitar o Facebook Pay, as pequenas e médias empresas que usam o aplicativo WhatsApp Business podem solicitar e receber pagamentos ilimitados de crédito ou débito, oferecer reembolsos e obter suporte 24/7. Os comerciantes pagam uma taxa fixa competitiva de 3,99% por transação.

Para mais informações acesse www.whatsapp.com/payments/br (Com assessoria de imprensa)

(Fonte: DA REDAÇÃO) - 15/06/2020
Saiba como encontrar um iPhone perdido ou roubado

A Apple oferece um aplicativo que permite localizar um dispositivo perdido, seja dentro ou fora de casa, mesmo que não esteja conectado à internet

Os iPhones estão entre os smartphones mais potentes, mais cobiçados e também mais caros do mercado mobile atual. Isso chama a atenção tanto de entusiastas de tecnologia topo de linha quanto de criminosos. Por isso é importante proteger o seu aparelho para caso seja roubado ou perdido, seja na rua ou dentro de casa.

Uma das facilidades disponibilizadas pela Apple nesses casos é o aplicativo Buscar, que une as funções "Buscar iPhone" e "Buscar Amigos" em um único programa. Esse app está disponível apenas para quem já tem o iOS 13. No sistema iOS 12 ou anterior, as funcionalidades ainda estão separadas e precisam ser ativadas de forma independente.

O mais importante para usar essa funcionalidade é ativar a localização do dispositivo. Para isso, entre em Ajustes, selecione a opção Privacidade e clique em Serviços de Localização para ativar.

Para ativar o Buscar iPhone nos sistemas operacionais mais antigos, entre em Ajustes, clique no seu nome (caso utilize iOS superior ao 10.2) e clique em iCloud. Em seguida, arraste a tela até encontrar a opção Buscar iPhone, clique nela e ative.

No iOS 13, basta entrar em Ajustes, clicar no seu nome e entrar em Buscar. Lá, clique na opção Buscar iPhone e ative a função. Para encontrar o dispositivo mesmo se não estiver conectado à internet, ative a opção Busca Off-line.

Esse processo deve ser realizado antes de o aparelho ser roubado ou perdido. Caso a opção Buscar iPhone não esteja ativada, não será possível encontrar o dispositivo pelo app em outro aparelho ou pelo iCloud.

Como localizar um aparelho com a opção Buscar iPhone ativa
Se você tiver ativado a função Buscar iPhone antes de perder o aparelho, você pode localizá-lo tanto pelo aplicativo Buscar em outro aparelho Apple quanto pelo site iCloud.com/find. Entre com seu ID Apple e senha. Quando entrar no site ou aplicativo, clique em Buscar iPhone e selecione um aparelho para encontrá-lo no mapa. Se você ver no mapa que o dispositivo está próximo, você pode fazer o aparelho tocar um som para facilitar a procura.

Se o iPhone não estiver próximo, há algumas opções para proteger os seus dados, como o Modo Perdido. Se você marcar o celular como perdido, isso vai automaticamente bloquear o aparelho com um código de segurança para impedir qualquer um de acessá-lo. Você também pode adicionar uma mensagem personalizada para informar seu número de telefone e ajudar quem encontrar o dispositivo a te contatar para devolver. Nesse modo, o iPhone também poderá ser rastreado e as opções de pagamento pelo Apple Pay serão bloqueadas até você desativar o Modo Perdido.

Caso você prefira apagar todos os dados do seu dispositivo, entre na aba Dispositivos, escolha o aparelho que deseja limpar e clique na opção Apagar Dispositivo. Depois que fizer isso, você não poderá mais rastrear o aparelho. Também há a opção de retirar o celular da sua conta. Isso vai desativar o Bloqueio de Ativação e qualquer um que encontrar o aparelho poderá usá-lo normalmente.

O que fazer se a função Buscar iPhone não estiver ativa no aparelho perdido
Caso você não tenha ativado a opção Buscar iPhone antes de perder o dispositivo, não há como rastreá-lo com outros recursos Apple. O que a empresa recomenda é que você altere a senha do seu ID Apple para impedir que outra pessoa acesse seus dados pessoais e use serviços relacionados à conta. Também é importante alterar as senhas de outros aplicativos que você tenha no aparelho perdido, como redes sociais e bancos.

O mais importante é informar a polícia sobre a perda ou o roubo do aparelho. Nesse caso, tenha o número de série do dispositivo à mão, pois ele pode ser pedido. Para descobrir o número de série, antes de perder o aparelho, entre em Ajustes, clique em Geral e entre na opção Sobre. Caso você não esteja com o celular, procure o código de barras na embalagem ou na nota fiscal ou comprovante original.

É necessário também informar a operadora de celular sobre a perda do aparelho para pedir a desativação da conta ou do próprio aparelho com o número IMEI para impedir que alguém faça ligações ou envie mensagens pelo dispositivo roubado ou perdido.

Samsung lança seguro para smartphones no Brasil

O programa de proteção para aparelhos celulares da marca, o Samsung Care+, cobrirá roubo, danos acidentais e tela quebrada

A fabricante de eletrônicos Samsung anunciou, na última quinta-feira (28), o lançamento do seu programa de proteção para smartphones, o Samsung Care+, no Brasil. Agora, clientes da empresa que contratarem o serviço poderão receber cobertura para roubo, danos acidentais e tela quebrada de seus aparelhos celulares.

A contratação do serviço pode ser realizada no site www.samsung.com/br/offer/care-plus/ e possui uma variedade de preços, que ficam entre R$ 119 e R$ 1.119 ao mês, a depender do modelo do smartphone e o tipo de cobertura. O pacote mais caro, por exemplo, cobre dano acidental, roubo e furto qualificado para os celulares mais caros da marca, como a linha Galaxy S, Galaxy Note e o
recém-lançado Galaxy Z Flip.



A fabricante de eletrônicos Samsung anunciou, na última quinta-feira (28), o lançamento do seu programa de proteção para smartphones, o Samsung Care+, no Brasil

Foto: Reuters

O gerente sênior de conteúdos e serviços para a área de dispositivos móveis da Samsung Brasil, Bruno Costa, comenta sobre a chegada do Samsung Care+ ao Brasil. “Estamos muito empolgados em trazer o programa ao País”, diz. “O nosso foco é oferecer serviços que facilitem a rotina dos consumidores, seja com produtos e serviços no dia a dia, ou em caso de necessidade de atendimento especializado devido a um imprevisto.”

Para auxiliar na operação do seu programa de proteção para smartphones, a Samsung realizou uma parceria com a seguradora Assurant. O gerenciamento do Samsung Care+ será realizado pela fabricante, que controlará os canais de atendimento, centralizando os contatos direto com os clientes. Além disso, a marca também fará os reparos dos aparelhos.

Listando: 10 de 1329

Anuncie

Sobre o Portal da 25

O Portal da 25 foi lançado em 01 de maio de 2001, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua 25 de março no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para área pessoal e doméstica.